Uma alma que se eleva em consciência, eleva o mundo.

sábado, 30 de abril de 2011

Conto Zen: O Apego

Um dia morreu o guardião de um mosteiro Zen. Para decidir quem seria a nova sentinela, o mestre convocou os discípulos e disse:
- O primeiro que resolver o problema que eu apresentarei assumirá o posto.

Então, numa mesa que estava no centro da sala, colocou um vaso de porcelana muito raro, com uma rosa amarela de extraordinária beleza. E disse apenas:

– Aqui está o problema!
Todos ficaram a olhar para a cena: o vaso belíssimo, de valor inestimável, com a maravilhosa flor ao centro! O que representaria? O que fazer? Qual o enigma? De repente, um dos discípulos saca da espada, olha para o mestre, dirige-se para o centro da sala e… Zazzz! Com um só golpe destruiu tudo.
– Você é o novo guardião. Não importa que o problema seja algo lindíssimo. Se for um problema, precisa ser eliminado.

Conto japonês de autor desconhecido

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Os Habitantes do Plano Astral

Este é um texto básico, mas muito importante, escrito por Beraldo Lopes Figueiredo. Não é fácil classificar e ordenar os seres astrais, tal sua variedade e complexidade, mas podemos nos esforçar para isso, começando a dividi-los em 3 grandes categorias: Humanos, os não-humanos e os artificiais.

01.2.1 – HUMANOS
Os cidadãos humanos do mundo astral, separam-se naturalmente em dois grupos: Os vivos e os Mortos.

01.2.1.1 – VIVOS
01 – Adeptos e seus discípulos: São os humanos evoluídos, instruídos que operam tanto com o corpo mental como astral, mas muito mais com mental, pertencentes as Lojas, escolas orientais e algumas ocidentais.
02 – Indivíduos Psiquicamente adiantados: Esses não estão sob orientação de um Mestre (amparador), em geral são conscientes fora do corpo físico, mas por falta de necessário treino e experiência estão sujeitos a enganos e apreciação do vêem. Sua lucidez é variável , variam de acordo com seu grau de desenvolvimento e em muitos casos quando voltam ao corpo físico não lembram de sua experiência.
03 – A pessoa Vulgar: Não possuem maturidade astral, flutuam perto do corpo físico durante o sono., num estado mais ou menos inconsciente, em alguns casos numa semi-adormecido, vagueia daqui para ali, deitado seguindo algumas correntes astrais passando por toda espécie de aventuras, umas agradáveis outras desagradáveis. Quando menos evoluído for uma pessoa, mal definida será suas formas astrais, sem contornos definidos, devido a alta densidade do seu duplo etérico.
04 – O mago negro e seus discípulos: É semelhante a primeira, porém voltada para o mal. As ordens que lidam com essas forças ocultas poderosas são várias, mas podemos citar: Dügpas Europeus, Vodoo, Obeah, Magia Negra, etc.

01.2.1.2 – MORTOS
01 – Os Nirmânakáyas: Seres elevados, no entanto por qualquer necessidade de missão que se julgue necessário descem para o plano Astral.
02 – Discípulos a espera de Reencarnação: Esse não é um habitante comum do mundo astral e sim do mundo mental, mas ocasionalmente pode-se encontrar um ocasionamente por isso é uma população muito reduzida.
03 – Os mortos Vulgares: É uma classe cuja população são de milhares e milhares de almas, também complexa limitar sua estadia no mundo astral, varia de algumas horas, dias, semanas, meses, anos e até séculos.
Todos sem exceção tem que passar por todos as subdivisões do plano astral no seu caminho para o mundo-céu, algumas percorrem essas subdivisões inconscientes, para as pessoas evoluídas com várias reencarnações, essa passagem é extremamente rápida.
04 – As Sombras: Quando a extinção de um indivíduo é completa é sinal que acabou sua vida Astral, ele passa para o plano Mental (Plano Devachânico). Mas, assim como ao passar para o plano físico para o Astral há um abandono do corpo físico, assim também na passagem do corpo astral para o mental, o invólucro astral é abandonado e também irá se desintegrar, neste caso o corpo astral abandonado, é um verdadeiro cadáver. Infelizmente o homem vulgar deixa-se dominar por todos os desejos inferiores, que uma parte da mente inferior se funde com o corpo dos desejos, essas partículas da matéria astral possuem vida própria e animam esse cadáver, gerando uma classe chamada: Sombras Essa sombra não é o indivíduo real, mas conserva hábitos, semelhança física, memória mas sua inteligência é limitada, pois é um farrapo de suas piores qualidades. A duração de uma sombra varia segundo a qualidade da mente inferior que a anima, mas apesar desta astúcia que engana alguns médiuns despreparados em sessões espíritas, na medida que o tempo passa ela vai perdendo a vitalidade e se degradando até cair na classe seguinte: Os invólucros (Cascões Astrais).
05 – Os invólucros (Cascões Astrais): São os cadáveres astrais, o corpo astral abandonado e em estado de desintegração, são desprovidos de qualquer espécie de consciência e de inteligência, vagueiam nas correntes astrais como nuvens impelidas por ventos contrários. {b]Não pode ser confundido com o Duplo Etérico que conserva-se a poucos metros post-mortem do cadáver físico, se desintegrando lentamente são vistos nos cemitérios essas formas azuladas com aparência de vapores, flutuando nos túmulos dos cemitérios daqueles que recentemente deixaram o mundo físico, não é um espetáculo agradável de ver. Mas os Cascões Astrais, que vagam, podem ser usados e manipulados por meio de Magia Negra.
06 – Os invólucros vitalizados: Alguns elementais artificiais, as vezes entram dentro destas cascas astrais e dão uma vida aparente a eles. Geralmente o usam de uma forma malévola,
07 – Vitimas de Morte Súbita e os Suicidas: Todo o indivíduo que for arrancado de sua vida terrena repentinamente, em pleno gozo de sua saúde e energias, vai se encontrar no mundo astral numa situação diferenciada dos demais seres que morreram por doença. No caso de suicídio ou de morte por acidente, desastre, não se realizando os preparativos naturais e graduais, compara-se como retirar o caroço de uma fruta quando esta fruta estiver verde, grande quantidade de perietérico (combustível vital), duplo etérico, alta densidade desta matéria é pertubadora para o indivíduo recém morto, esta alta densidade vibratório levará o indivíduo a cair na sétima zona astral conhecido por baixo astral (Umbral). Porém se o indivíduo for de boa índole ficará insconsciente e por pouco tempo neste mundo trevoso. O fato do suicida, é bem mais difícil, porque interromperam sua vida através do livre arbítrio, embora cada caso tem suas variantes e nem todos os suicídios são consideráveis condenáveis, como o caso de Sócrates.
08 – Vampiros e Lobisomens: É a entidade mais cruel e repelente, mas felizmente muito raras são essa criaturas, essas relíquias horrorosas de um tempo em que o ser humano era mais animalesco, são considerados fábulas da Idade Média, pertenciam a Quarta Raça da terra, como na Rússia e Hungria, apesar das lendas exageradas, no fundo tem uma verdade inquestionável. Essas criaturas apegadas ao extremo a vida terrena usavam seu corpo astral para manter íntegro seu corpo físico, roubando sangue dos vivos com seu corpo astral semi materializado, existindo casos registrados na Europa Central de aberturas de caixão encontrava-se o corpo fresco e sadio, muitas vezes mergulhado num sangue fétido.
Já os lobisomens, também de extrema raridade, nos dias de hoje, eram de uma raça extremamente carnívora que se alimentava de animais vivos, numa extrema violência, quando mortos esses indivíduos semi materializados numa espécie de Lobo e Homem atacavam nas matas outros animais.
Portanto aos estudiosos de Viagens Astrais, não se preocupem pois esses tipos são de extrema raridade nos dias de hoje e geralmente os que existem ainda, agem próximos ao seu corpo físico.
09 – Magos Negros e seus Discípulos: Pertencem ao outro extremo da escala, são espíritos desencarnados, tendem a manter-se o maior tempo possível neste plano, renegando o plano mental, são criaturas extremamente hábeis com os poderes do mundo astral, violam a lei natural da evolução , pois mantém-se no mundo astral pela manipulação de artes mágicas: MAGIA NEGRA. Deve-se frisar que para se conseguir isso, é a custa de outras vidas, roubando de outrem o tempo de vida legítimo.

01.2.2 – NÃO HUMANOS
01 – Corpos Astrais dos Animais: Apesar de extraordinariamente numerosa, esta classe ocupa um lugar subalterno no plano astral, visto ser muito curta a permanência neste plano dos membros que a compõem. Os animais em sua grande maioria ainda não adquiriram ainda uma individualização permanente e quando morrem a essência monádica que os animava volta ao stratum especial donde vieram. Geralmente essa existência não passa de uma espécie de sonho inconsciente impregnado, ao que parece de uma perfeita felicidade. Quanto aos animais domésticos que já atingiram a individualidade, o caso de alguns gatos e alguns cachorros, esses tem uma vida astral mais longa e mais ativa, mas caindo por fim num estado passivo subjetivo que dura pouco. Dos animais selvagens os que já atingiram a individualização encontra-se os Macacos Antropóides, que forma uma classe interessante, visto que se aproximam de reencarnarem como seres humanos.
02 – Os espíritos Naturais: Compreende-se esta classe subdivisão tão numerosa e tão variada que pode-se dizer não serem totalmente conhecidas em sua integralidade. Classificadas por alguns escritores como ELEMENTAIS, são espíritos da natureza, tendo os da terra, do ar, da água e fogo. São entidades astrais dotadas de inteligência, definidas, que habitam e funcionam cada um desses meios. Na linguagem popular tem uma grande variedade de nomes: Fadas, pixies, brownies, salamandras, duendes, trolls, sátiros, faunos, sacis, etc. São em forma reduzida ou de baixa estatura.
Em geral são invisíveis para a visão física mas alguns possuem a propriedade de se materializarem quando lhes convém.
Em sua maioria evitam os seres humanos, visto não gostarem das emanações fluídicas humanas, os vícios e desejos desordenados põem em ação correntes astrais que os pertubam. Os períodos de vida desses seres variam muito, alguns muito curtos, outros maiores que as nossas vidas.
03 – Os Devas: O mais alto sistema de evolução que tem relação com a terra, são seres que os hindus chamam de Devas, no Ocidente Anjos, “Filhos de Deus”, amparadores, são considerados um reino acima do humano, assim como os animais irracionais um reino inferior aos humanos, chamados também de Regentes da Terra, Anjos Celestiais, são eles agentes do Karma do ser humano. Poucas vezes se manifestam no mundo astral, estão mais presentes no mundo mental, mas quando o fazem são notáveis pela beleza e luz que irradiam, parecendo possuírem asas tal beleza de suas auras, parecem possuir uma aureola tal é a luz do seu chakra coronário.

01.2.3 – ARTIFICIAIS
01 – Elementais criados inconscientemente: A essência elemental nos rodeia por todos os lados. É flagrante o efeito produzido por um pensamento que quando apodera-se da matéria plástica astral, ele molda instantaneamente um ser vivo, ser que uma vez criado não fica de forma nenhuma sob a influência do seu criador , mas adquire o instinto básico de qualquer réstia de vida que o INSTINTO DE SOBREVIVÊNCIA. A duração de um elemental (Formas-Pensamento) varia muito sendo proporcional a intensidade dos pensamentos de quem o gerou. Alguns minutos, horas, mas o pensamento forte, repetitivo, convicto pode durar alguns dias. Os elementais ficam em volta do seu criador em suspensão, circulando, tendem a provocar a repetição da idéia buscando se fortificar para viver mais tempo. Crianças criam companheiros astrais. Tem como tendência prolongar suas curtas vidas reagindo sobre o seu criador, provocando a renovação do pensamento que o originou. Existem casos de criações encontrarem energias paralelas e se alimentarem de várias ao mesmo tempo, o que prolongaria sua vida por um tempo bem considerável, alguns deixam seus criadores , encontrando essa energia no próprio astral se transformam em demônios errantes. Casos de mães devotas criando para seus filhos anjos da guarda, visto por muitos clarividentes, acompanhando algumas crianças.
02 – Elementais Criados Conscientemente: Tantos os adeptos e ocultistas da Magia Branca e Magia Negra se servem freqüentemente de elementais artificiais nos seus trabalhos, neste caso essas criaturas são como escravas, poucas são as tarefas que não possam ser realizadas por essas criaturas quando cientificamente preparadas e habilmente dirigidas. Não tem sido pouco o mal que essas criaturas espalham pelo mundo. Os elementais formados conscientemente são dotados de uma inteligência superior aos formados inconscientemente, além da duração de suas vidas, serem bem maiores, por isso são mais perigosos. Da mesma forma são mais astutas para prolongar a vida, quer alimentando-se como Vampiros da vitalidade de seres humanos, quer influenciando que façam oferendas, matando animais, cuja vitalidade é direcionada e absorvida pelo elemental. Podem prolongar suas vidas por anos a fio, tem casos que são séculos. Tem um caso na índia que uma entidade protetora das lavouras, quando não lhes era ofertada as oferendas, alimentos, focos de fogos espontâneos rebentavam simultaneamente entre as cabanas, apareciam do nada.
03 – Artificiais Humanos: apesar de ser pouco numerosa esta entidade existe, guardiões de Lojas Brancas, Demônios da Idade Média, líderes que já reencarnaram, mas seu ser artificial ainda continuam vivo no mundo astral e são vistos por clarividentes.

Fonte: Anie Besant, C.W. Leadbeather.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

DIMENSÕES DO SER

Dizemos que o Planeta Terra encontra-se no estágio tridimensional. Nesta dimensão, são as leis físicas que regem todas as manifestações e relações dos seres com os pontos tridimensionais. Algumas “regras”, tais como: dualidade, resgate kármico, sofrimento, doenças, o não encontro de sua alma-gêmea, guerras, poder, injustiças, vícios, etc. , fazem parte do universo de aprendizado que vamos transitar.
Cada ser humano pode elevar suas vibrações, passando para dimensões superiores. Abaixo segue uma breve descrição das 7 dimensões em que os seres humanos podem encontrar-se:

Primeira Dimensão
A primeira dimensão está relacionada com o chackra da raiz. Refere-se  à terra (minerais e vegetais) e à sobrevivência no plano físico.  Os homens que se sintonizam com essa dimensão, no aspecto negativo,  são capazes de tudo para garantir sua sobrevivência, inclusive matar e roubar.

Segunda Dimensão
Está relacionada com o chackra genésico, referente às questões do desejo, da sexualidade e das emoções.

Terceira Dimensão
Está relacionada com o chackra umbilical. A busca do desejo gera estratégias cada vez mais desenvolvidas, em busca do objeto do instinto, e assim, as sementes do intelecto começam a florescer. O instinto vai, gradativamente, se transformando em inteligência. Quando o ser atinge um nível de inteligência que lhe permita reconhecer a si próprio, ele se hominiza, ganhando o status de humano.
O homem inteligente é, inicialmente, egocêntrico e vive em função dos seus interesses, não hesitando em atropelar quem se coloque no seu caminho. Vive uma vida “normal”, dedicada a satisfazer suas necessidades relacionadas ás 3 primeiras dimensões: 1a a sua sobrevivência – 2a os seus desejos – e 3a o seu poder. A terceira dimensão está, portanto, relacionada ao poder e ao intelecto. O outro nada mais é senão um observador, um expectador do nosso sucesso e do nosso fracasso. A vaidade e o orgulho fazem parte da terceira dimensão.
Infelizmente a maioria da humanidade estagia na terceira dimensão. Todos se preocupam em terem poder na forma de dinheiro e status e se destacarem em relação a outras pessoas.

 
Quarta Dimensão
Está relacionada com o chackra cardíaco. Na quarta dimensão, o ser não está mais só, ele percebe que existe outras pessoas ao seu redor, que sofrem e sonham tanto quanto ele. Ele desenvolvem a capacidade de empatia (vestir a pele do outro) e junto com essa capacidade, a compaixão e a misericórdia. Seus atos passam a ser em função não mais dos seus interesse egoístas, mas na direção das pessoas que ama.
Na quarta dimensão, pela primeira vez, o homem sente-se ligado a Deus e à espiritualidade superior. Ele começa a perceber a ajuda que vem do Alto e, junto com essa percepção a sua fé vai aumentando, vai se consolidando, tornando-o capaz de ser dono do seu destino e entrar definitivamente na quinta dimensão.

Quinta Dimensão
Está relacionada com o chackra laríngeo. Na quinta dimensão, o homem é inteiramente dono do seu destino. Sua vontade está em sintonia com a Vontade Divina e, por isso, “todo o universo conspira a seu favor”. Ele aspira a beneficiar toda humanidade e tudo o que faz é com esse objetivo. Assim, ele não mais está ou se sente só. O Universo o ajuda em todos os seus objetivos materiais e espirituais como o gênio da fábula de “Aladim”. A lâmpada é o coração purificado no serviço do bem e o gênio é a sua mente.
As leis da sincronicidade (coincidências significativas) o ajudam a conseguir tudo o que quer. Por exemplo: se ele precisa de dinheiro e de um bom emprego, encontra um anúncio num jornal esquecido no banco de uma praça. Se ele quer orientação, encontra-se “por acaso” com um amigo sábio ou ganha de presente um livro que o esclareça sobre o assunto.
Pessoas de quinta dimensão são, portanto, pessoas sábias, criativas, de sucesso e que sabe lidar como ninguém com as leis da prosperidade e dá serviço ao próximo.
Os benefícios da quinta dimensão são o sonho de todos as pessoas da terceira. É importante, contudo, salientarmos que, para se entrar na 5a dimensão é necessário passar pela 4a, ou seja, abrir o coração para a caridade e o amor. É necessário, também, uma longa disciplina de prece e meditação, para que a nossa fé e nossa sabedoria sejam consolidadas, do contrário as leis da sincronicidade passarão diante dos nosso olhos e não perceberemos.

Sexta Dimensão
Está relacionada com o chackra frontal É a dimensão dos milagres. Nada mais é impossível para essa pessoa, que se torna um iluminado. Sua plenitude é tão grande que ele não sente necessidade de nada material, podendo viver na pobreza como se fosse o mais rico dos homens. Sente-se totalmente integrado com Deus e consegue enxergá-Lo em tudo.

Sétima Dimensão
Nesta dimensão não há mais limites entre Deus e o homem. Ele se sente um com Deus. Jesus de Nazaré, São Francisco de Assis e Sai Baba são exemplos de pessoas que se integraram definitavemente com seu Cristo interno, com sua essência divina. “Eu e o Pai somos um”. “As minhas obras não sou eu quem realiza, mas o Pai que as realiza através de mim”

Como passamos de uma dimensão para outra?

Através de uma disciplina espiritual completa. A disciplina é a arte de transformar sonhos em realidade. Qualquer sonho que tivermos só se transforma em realidade se houver disciplina. Por exemplo: só nos tornaremos um grande pianista se renunciarmos as horas de lazer por horas de estudos monótonos ao piano, só exerceremos a medicina após seis longos anos de faculdade.
Disciplina espiritual  significa praticarmos persistentemente uma prática espiritual de qualquer religião com que temos afinidade. Meditação, ioga, terço, preces, hinos de louvores, são algumas das muitas técnicas que as religiões nos oferecem para desenvolvermos a nossa fé.
Disciplina espiritual completa é quando, aliamos a prece a caridade. De nada adianta termos uma vida de monge se não fazemos o bem, se não ajudamos a ninguém, se nos isolamos? Portanto, poderemos entrar em contato com Deus de uma forma mais efetiva através da prece completa, aquela oração que é seguida de uma ação. Em outras palavras, o próximo é o caminho mais curto para Deus.
Como sabemos em qual dimensão nos encontramos?
Através da forma com que vemos o mundo. Nós somos aquilo que vemos. Vale salientar que uma mesma pessoa pode se situar em dimensões diferentes em cada aspecto da sua vida. Portanto, é preciso, verificarmos em quais departamentos da nossa vida a nossa dimensão é baixa para que possamos elevá-la.

Referências: Somos Todos Um, Scribd e Idbrasil

domingo, 17 de abril de 2011

Ordinario (Tarô Zen - Osho)

Às vezes acontece a você sentir-se integrado, em algum raro momento. Observe o oceano, o seu espírito indomável -- de repente você esquece a sua divisão interior, a sua esquizofrenia: você relaxa. Ou então, andando pelo Himalaia, contemplando a neve virgem nos picos das montanhas, de repente uma calma o envolve e você não precisa ser falso, porque não há ali nenhum outro ser humano para o qual representar. Você se re-integra. Ou ainda, ouvindo boa música, você se sente integrado.
Sempre que, em qualquer situação, você se torne uno, uma paz, uma felicidade, uma bênção o envolvem, brotam de dentro de você. Você se sente preenchido. Não há necessidade de ficar esperando por esses momentos -- eles podem transformar-se na sua maneira natural de viver. Esses momentos extraordinários podem transformar-se em momentos comuns -- este é todo o esforço do Zen. É possível viver uma vida extraordinária dentro dos limites de uma vida bastante comum: cortando árvores, rachando lenha, buscando água no poço, é possível estar extremamente à vontade consigo mesmo. Limpando o chão, preparando a comida, lavando a roupa, você pode estar perfeitamente à vontade -- porque a questão toda é de você atuar com todo o seu ser, desfrutando, realizando-se no que faz.
 
Comentário
 
Esta figura, caminhando pela natureza, mostra-nos que a beleza pode ser encontrada nas coisas simples e comuns da vida. Com muita freqüência nós tomamos este lindo mundo em que vivemos como coisa garantida. Limpar a casa, cultivar o jardim, fazer a comida -- as tarefas mais simples ganham uma conotação sagrada quando são feitas com envolvimento total, com amor, e exclusivamente pelo prazer de fazê-las, sem expectativas de reconhecimento ou de recompensa.
Neste momento, você passa por um período em que esta maneira cordata, natural e extremamente simples de encarar as situações que se apresentam, trará resultados muito melhores do que qualquer tentativa sua de ser brilhante, perspicaz ou, de alguma outra forma, extraordinário. Deixe de lado toda pretensão de fazer alarde quanto a ter inventado mais alguma coisa inútil, ou a vaidade de encantar seus amigos e colegas com o seu talento incomparável de prima donna. A contribuição especial que você tem para oferecer neste momento será maior se você encarar as coisas sem resistência e com simplicidade, um passo de cada vez.

INFLUENCIAS ESPIRITUAIS NEGATIVAS

   Bocejos, sensação de desconforto, dor de cabeça, dor nas costas, peso nos ombros, angústias imotivadas não causadas por um estado emocional ou de estresse, sensação de esgotamento sem motivo, perda de energia, cansaço ou angústia ao se levantar pela manhã; pesadelos espantosos e repetidos, contrações dolorosas no nível do plexo solar ou cardíaco, medo irracional de estar só, desavenças familiares constantes, provavelmente tais sintomas não são de origem física ou orgânica. Se  você costuma sentir estes sintomas, fique alerta! Estes sintomas são indicativos para definir energias intrusas, aproximação de espíritos obsessores ou vampirizadores. Somos rodeados por energias espirituais e por espíritos de ordens diversas. Eles se aproximam de nós por motivos cármicos (outras vidas) onde se faz necessário a mudança de consciência e a transmutação dos processos carmicos envolvidos nas encarnações co-relacionadas a tais influencias ou por frequencias vibratórias afins. Estas influências podem ocasionar problemas diversos, como por exemplo, problemas de saúde,desavenças familiares, desequilíbrio financeiro, etc.
            Elevar o padrão vibratório para que possamos ficar imunes a estas interferências vai depender da nossa mudança de consciência e de persistimos na energia do equilíbrio e do bem nem sempre fácil quando somos acometidos por tais vibrações.  Trabalhar a transmutação dos padrões carmicos envolvidos é sentir gradativamente todo o padrão vibratório negativo ser dissolvido.   Vivemos em uma realidade dual dentro do nosso processo evolutivo. Na maioria das vezes ainda lutamos com forças internas contraditórias que na maioria das vezes nos causam desequilíbrio de toda ordem o que podemos nominar de auto-obsessão. Por outro lado sofremos inúmeras influências de espíritos desencarnados, tanto no sentido positivo quanto negativo, tudo vai depender da nossa freqüência vibratória e do acúmulo de processos carmicos envolvidos na encarnação.  Nossa Alma é um Espírito que pensa; não ignorais que muitos pensamentos vos ocorrem, a um só tempo, sobre o mesmo assunto, e freqüentemente bastante contraditórios. Pois bem: nesse conjunto há sempre os vossos e os pensamentos que não são vossos, e é isso o que vos deixa na incerteza, porque tendes em vós duas idéias que se combatem.
            E como distinguir nossos próprios pensamentos dos que nos são sugeridos?  Quando um pensamento vos é sugerido, é como uma voz que vos fala. Os pensamentos próprios são, em geral, os que vos ocorrem no primeiro impulso.   De resto não há grande interesse para vós nessa distinção e é freqüentemente útil não o saberdes: o homem age mais livremente; se decidir pelo bem, o fará de melhor vontade; se tomar o mau caminho, sua responsabilidade será maior.  Mas para tudo há um objetivo maior. Os espíritos imperfeitos são os instrumentos destinados a experimentar a fé e a Constancia dos homens no bem. Vós, sendo espírito, deveis progredir na ciência do infinito, e é por isso que deves passar pelas provas da dualidade. Quando más influências agem sobre vós, és vós que as chamas, pelo desejo do mal, porque os espíritos inferiores vêm em vosso auxílio no mal, quando tens a vontade de o cometer; eles não podem ajudar-vos no mal, senão quando vos desejas o mal. Se fores inclinado ao assassínio, pois bem, trarás uma nuvem de Espíritos que entreterão esse pensamento em vós; mas também terás outros que tratarão de influenciar-vos para o bem, o que faz que vos reequilibre a balança e vos deixe senhor de vós.  Nenhum Espírito recebe a missão de fazer o mal; quando ele o faz, é pela sua própria vontade, pela sua própria freqüências vibratória e conseqüentemente terá de sofrer as conseqüências. Deus pode deixá-lo fazer para vos provar, mas jamais o ordena e cabe a vós repeli-lo. Isso é o que podemos chamar de caminho evolutivo.  Quando vossos pensamentos estão em harmonia, vossa aura se expande e é um escudo protetor contra o Mal. O pensamento é o caminho para boas atitudes. São as atitudes  que vão direcionar as vossas companhias espirituais. Vossas atitudes. Atos. Comportamento. Conduta no bem.  É um exercício diário e perseverante. A oração é o canal que leva nossos pedidos aos Mensageiros do Bem. A oração sincera é também um antídoto contra o mal. No entanto, nem sempre quem reza "Senhor, Senhor!" consegue seus objetivos de proteção. Deus sabe tudo. A prece tem que ser sincera humilde para atingir os bons Espíritos. É a  Lei do merecimento. Colhemos sempre o que plantamos.  Existe a influência perniciosa dos Espíritos inferiores. No entanto, o Mal não é perene. Eles também caminharão para o arrependimento através das encarnações sucessivas, do perdão e da dor. Vós podeis escolher vosso caminho: o amor ou a dor. O caminho do Amor é mais suave, mas a dor, às vezes vem. No entanto, se vós estiverdes no caminho do Bem, estarás sempre bem acompanhado. "Orai e vigiai!" sempre. Cultivar a tolerância, a bondade e o otimismo. Assim, somente atrairemos boas energias. Na relação com os outros, temos que aprender o valor da paciência, da humildade. Humildade e tolerância dentro das nossas relações. Amor sempre e sempre. O amor cobre nossa multidão de pecado. Qualquer energia malsã pode prejudicar o nosso organismo, a mente e nossa saúde emocional.  Deus colocou no Universo os Espíritos Superiores para ajudar o homem na sua caminhada na Terra. Deus colocou na Terra, a Medicina do Corpo e da Alma, para ajudar o homem em sua saúde. Estamos rodeados de energias positivas que sempre estarão ao nosso lado. Confiemos no auxílio espiritual.

SÍNDROME DE DOWN

A SÍNDROME DE DOWN é uma doença que já existe no momento que o paciente nasce. Caracteriza-se por comprometimento mental e sinais físicos como: olhos oblíquos, nariz chato, cabeça pequena e mãos chatas e grossas. As pessoas portadoras da SD podem ter distúrbios cardíacos, deficiência na visão e problemas respiratórios. A maioria dos especialistas recomenda que portadores da SD sejam tratados em seu próprio lar. Assim, as crianças poderão freqüentar classes especiais em escolas públicas, podendo aprender a executar as mais diversas tarefas. A SD não é hereditária. Muito raramente se encontram dois casos na mesma família, a não ser que se trate de gêmeos do mesmo sexo. Mas é de origem cromossômica. Os núcleos das células dos portadores de SD, em vez de 46, encerram 47, mais um pequeno cromossomo extraordinário. A medicina ainda ignora a causa dessa anomalia cromossômica, à qual se dá o nome de translocação (perda de um segmento de um cromossomo, que se prende a um outro cromossomo que não é seu homólogo). Sabe-se que a Síndrome de Down é mais comum quando a idade materna excede os 40 anos. Não se tem conhecimento que um homem com SD tenha gerado um filho. O mesmo, entretanto, não ocorre com as mulheres, uma vez que são conhecidos casos de mães com SD e normais na proporção 1:1. Todas as pessoas estão sujeitas a ter um filho com Síndrome de Down, independente da raça ou condição sócio-econômica. No Brasil, acredita-se que ocorra um caso em cada 600 nascimentos, isso quer dizer que nascem cerca de 8 mil bebês com Síndrome de Down por ano.
Diferente do que muitas pessoas pensam, a Síndrome de Down não é uma doença, mas sim uma alteração genética que ocorre por ocasião da formação do bebê, no início da gravidez.
O que é uma Alteração Genética?
Todos os seres humanos são formados por células. Essas células possuem em sua parte central um conjunto de pequeninas estruturas que determinam as características de cada um, como: cor de cabelo, cor da pele, altura etc.. Essas estruturas são denominadas cromossomos. O número de cromossomos presente nas células de uma pessoa é 46 (23 do pai e 23 da mãe), e estes se dispõem em pares, formando 23 pares. No caso da Síndrome de Down, ocorre um erro na distribuição e, ao invés de 46, as células recebem 47 cromossomos. O elemento extra fica unido ao par número 21. Daí também, o nome de Trissomia do 21. Ela foi identificada pela primeira vez pelo geneticista francês Jérôme Lejeune em 1958.
Ainda não se conhece a causa dessa alteração genética, sabe-se que não existe responsabilidade do pai ou da mãe para que ela ocorra. Sabe-se também que problemas ocorridos durante a gravidez como fortes emoções, quedas, uso de medicamentos ou drogas não são causadores da Síndrome de Down, pois esta já está presente logo na união do espermatozóide (célula do pai) com o óvulo (célula da mãe).
Quais as características mais comuns nas pessoas com Síndrome de Down?
Os indivíduos com Síndrome de Down apresentam certos traços típicos, como: cabelo liso e fino, olhos com linha ascendente e dobras da pele nos cantos internos (semelhantes aos orientais), nariz pequeno e um pouco "achatado", rosto redondo, orelhas pequenas, baixa estatura, pescoço curto e grosso, flacidez muscular, mãos pequenas com dedos curtos, prega palmar única.
A partir destas características é que o médico levanta a hipótese de que o bebê tenha Síndrome de Down, e pede o exame do cariótipo (estudo de cromossomos) que confirma ou não a Síndrome.
A criança com Síndrome de Down tem desenvolvimento mais lento do que as outras crianças. Isto não pode ser determinado ao nascimento. Precisa de um trabalho de estimulação desde que nasce para poder desenvolver todo seu potencial.

Aspectos Cármicos, Espirituais e Reencarnatórios

Segundo os Amigos da Espiritualidade, ao falar da Síndrome de Down, devemos  avaliar a tendência de alguns espíritos à fixação em determinados fatos do seu passado, ocasionando uma curiosa dissociação de níveis conscienciais. Uma situação de vida pregressa que lhe seja atraente chama a sua atenção e, toda a energia deste nível de consciência, volta-se para esta vivência. Assim, por afinidade, outros níveis se fixam nesta mesma vivência, formando o que a Espiritualidade convencionou chamar de grupo fechado de níveis conscienciais. Este "fenômeno" pode ocorrer em uma encarnação e se perpetuar por tantas outras, sendo agravado pela formação de vários grupos distintos. Com isso, perde-se gradativamente, a capacidade de vivenciar as conexões entre as diversas vidas que temos, E o espírito portador desta anomalia, passa a ver estas existências como se fossem distintas uma da outra e vividas por espíritos diferentes. Sabe da existência de todos, mas não consegue vê-los como partes de um único ser e, portanto, os avalia como "vizinhos" (têrmo usado por um nível de consciência de portador de SD durante sintonia mediúnica para desdobramento múltiplo), com tom de pele, vestimentas e comportamentos diferentes uns dos outros. Como todos fomos criados "à imagem e semelhança de Deus", somos criaturas em busca da harmonia total. Ao fugir desse destino traçado, geramos carmas, os quais precisam ser resgatados e transmutados.
Aqueles espíritos que por diversas encarnações formatizaram os "grupos fechados de níveis", necessitarão de um período para reorganizar suas emoções e, desta forma, tornarem a ter seus corpos alinhados e saudáveis.No momento da fecundação, este espírito atrairá para sua formação o cromossomo excedente, gerador da SD. Isso porque seu corpo astral já estava lesado e, portanto, daria origem a um corpo físico comprometido em vários aspectos. Além disso, verifica-se o hemisfério cerebral esquerdo escurecido e com mecanismo de curto-circuito no cérebro etérico dos portadores da SD. Segundo outros pesquisadores, nos casos de SD, existem também distúrbios nas regiões etéricas das glândulas pituitárias, tireóide e timo. A região cerebral mais comprometida é o cerebelo e, em seguida, o mesencéfalo (onde estão os centros que controlam os reflexos visuais e auditivos) e a ponte (por onde passam fibras que se originam no cérebro e se dirigem ao cerebelo e vice-versa). Percebe-se, pela vidência, no campo cerebral de um portador da SD, no espaço correspondente à ponte, a existência de finos "fios de energia" que parecem mal conectados, refletindo em comprometimento mental no campo físico, uma vez que o correto seria a junção destes fios num "cabo"energético único. Já como uma das técnicas terapêuticas utilizadas no tratamento da SD, vemos a junção dos já mencionados fios de energia, através da somatória das seguintes energias:
- fluxo energético vindo da flor de lótus armazenada em pirâmide azul (essa flor e a energia da pirâmide produzem o efeito do cabo ou ponte);
- a energia dos florais responsáveis pela auto-aceitação;
- a energia do sol;
- ectoplasma do médium encarnado auxiliar e a energia do próprio paciente.


sexta-feira, 15 de abril de 2011

A Noite Negra da Alma

Que é a Noite Negra da Alma? Trata-se de um termo há muito usado pelos místicos para denotar certo estado emocional e psicológico, assim como para indicar um período de testes por que todo mortal passa alguma vez em sua vida. Essa Noite Negra da Alma é caracterizada por uma série de fracassos; o indivíduo experimenta muitas frustrações. Qualquer coisa que o indivíduo se propõe a fazer parece carregada de incertezas e obstáculos. Não importa o quanto ele tente ou que conheci­mentos aplique, o indivíduo se sente amarrado. Quando prestes a se concretizarem, as oportunida­des parecem escapar de suas mãos. Coisas com as quais ele muito contava, não se realizam. Seus pla­nos tornam-se estáticos e não se concretizam. Ne­nhuma circunstância lhe oferece solução ou enco­rajamento quanto ao futuro. Este período é reple­to de desapontamento, desânimo e depressão. Durante esse período, o indivíduo sente-se for­temente tentado a abandonar seus mais acalenta­dos ideais e esperanças, tornando-se extremamente pessimista. O maior perigo, contudo, é sua tendên­cia de abandonar todas aquelas coisas às quais atribuía grande valor e importância na vida. Ele pode achar que é inútil continuar seus estudos místicos, suas atividades culturais e sua afiliação a entidades filantrópicas. Caso ceda a essas tentações, estará realmente perdido. De acordo com a tradição mística, este é o período em que a fibra da personalidade-alma é testada. Suas verdadeiras convicções, sua força de vontade e seu merecimento de maior iluminação são colocados à prova. Se o indivíduo sucumbe a essas condições, embora a frustração e o desespero possam diminuir, ele não conhecerá o júbilo da verdadeira conquista na vida. Daí por diante, sua existência poderá ser medíocre e ele não experimentará verdadeira paz interior. Não se trata de algum tipo de punição imposta ao indivíduo. Como evidenciam os ensinamentos místicos, não é uma condição cármica. É, isto sim, uma espécie de adaptação que o indivíduo deve fazer dentro de si mesmo para evoluir a um nível mais elevado de consciência. É uma espécie de desafio, uma espécie de exigência de que a pessoa re­corra à introspecção e promova uma reavaliação de seus ideais e objetivos na vida. Uma exigência de que a pessoa abandone interesses superficiais e se decida sobre o modo em que deve utilizar sua vida. Não significa que o indivíduo deva abandonar seu trabalho ou meio de vida, mas, que ele deve reestruturar sua vida futura. A Noite Negra o faz perguntar-se sobre quais as contribuições que ele pode fazer à humanidade. Faz com que ele descubra seus pontos fracos e fortes. Se a pessoa fizer esta auto-análise durante a Noite Negra ao invés de apenas lutar contra suas frustrações, toda a situação mudará para melhor. Ela passa a ter domínio sobre acontecimentos que concluiu serem meritórios. Mais cedo ou mais tarde, então, advém a condição que há muito os místicos chamam de Áureo Alvorecer. Subitamente, parece haver uma transformação: a pessoa torna-se efervescente de entusiasmo. Há um influxo de idéias estimulantes e construtivas que ela sente poder converter em benefícios para sua vida. Todo o novo curso de sua existência é promissor. Em contraste com as condições anteriores, sua nova vida é verdadeiramente áurea no alvorecer de um novo período. Acima de tudo, há a iluminação, o discernimento aguçado, a compreensão de si mesmo e de situações que antes não compreendia. Aqueles que não têm conhecimento deste fenômeno mas que no entanto perseveram e superam a Noite Negra da Alma, tomam-se algo confusos pelo que lhes parece uma transformação inexplicável em seus afazeres e obrigações. Particularmente estranho lhes parece o que acreditam ser alguma energia ou combinação de circunstâncias externas que produziu a mudança. Eles não percebem que a transformação ocorreu em sua própria natureza psíquica como resultado de seus pensamentos e vontade.
Quando é que começa a Noite Negra da Alma? Em que idade ou período da vida ela ocorre? Podemos responder que normalmente ela se sucede ao fim de um dos ciclos de sete anos, como 35, 42, 49, 56, 63… anos de idade. Ela ocorre com mais freqüência no fim do ciclo dos 42 ou 49 anos, e muito raramente aos 63 ou além.
Quanto tempo ela dura? Em verdade ninguém pode responder esta pergunta pois sua duração é individual. Depende de como a pessoa tenha vivido; de seus pensamentos e ações. Contudo, enfatizamos uma vez mais: A Noite Negra não advém como punição pelo que a pessoa possa ter feito no passado, mas, sim como um teste do merecimento de penetrar no Áureo Alvorecer. Talvez quanto mais circunspecto seja o indivíduo, quanto mais sincero ele seja na busca de realizar nobres ideais, tanto mais cedo sua determinação e seu verdadeiro caráter serão postos a prova pela Noite Negra da Alma.
Por quanto tempo tem a pessoa de suportar es­sa experiência? Isto também varia de acordo com o indivíduo. Se ele resiste, se não sucumbe à tentação de abandonar seus hábitos, prática e costumes meritórios, a Noite logo termina. Se, porém, ele sucumbe, entrega-se à estagnação profunda e abandona seu melhor modo de vida, então a Noite pode continuar em diferentes intensidades pelo resto de sua vida.
Deve-se compreender, repetimos, que esta não é uma experiência ou fenômeno que ocorre somente para os estudantes de misticismo. Aliás, ela não guarda relação direta com o tema do misticismo, exceto pelo fato de ser um fenômeno natural, psicológico e cósmico. Os místicos o explicam; os outros, não. Os psicólogos, por exemplo, dirão que se trata de um estado emocional, uma depressão temporária, um estado de ânimo que inibe o pensa­mento e a ação da pessoa, o que explica os fracassos e as frustrações. Eles procurarão encontrar algum pensamento, alguma repressão subconsciente para explicar tal estado. Como dissemos, a Noite Negra ocorre na vida de todo mundo, independentemente de a pessoa conhecer ou não algo de misticismo. É bem provável que você tenha conhecido alguma pessoa que passou por esse período. As coisas para tal pessoa pareciam redundar em fracassos, a despeito de quanto esforço ela fizesse. Então, algum tempo depois, es­sa pessoa tomou-se bem sucedida, feliz, parecendo ter outra personalidade. Entretanto, o indivíduo, por sua própria negligência, pode acarretar condições semelhantes às da Noite Negra. Uma pessoa preguiçosa, indolente, descuidada, indiferente e sem senso prático acarretará muitos fracassos à sua própria vida. Ela pode lastimar-se de sua sina a outros, e, se conhecer algo a respeito, poderá mesmo dizer que está passando pela Noite Negra. Mas saberá que a falha está em seu próprio interior.
A diferença entre esta pessoa e o indivíduo que está realmente passando pela Noite Negra está em que o último, pelo menos a princípio, sinceramente procurará enfrentar cada situação e aplicar seu conhecimento até que chegue a compreender que está bloqueado por algo maior que sua própria capacidade. A pessoa indolente, porém, sempre sabe que é indolente, quer isto admita ou não. A pessoa negligente sempre sabe que negligenciou o que deveria ter realizado. A pessoa descuidada que é as­sim por hábito, sabe que não vai muito longe e que comete muitos erros. – AMORC

sábado, 9 de abril de 2011

A ASTROLOGIA KÁRMICA E A DÉCIMA - SEGUNDA CASA ASTROLÓGICA NA RODA DE SANSARA

A décima - segunda casa descreve as encarnações co-relacionadas com a encarnação atual, ou seja, os padrões carmicos envolvidos com as pessoas que aqui escolhemos reencontrar com o intuito de reajustar processos ainda não cumpridos com as mesmas em outras encarnações. A casa doze não se refere apenas a nossa ultima encarnação e sim com todas as co-relacionadas e escolhidas por nós para serem trabalhadas com o objetivo de nos harmonizarmos com antigos desafetos ao longo de algumas vidas. Esta casa também informa como foram estas ultimas vidas em conexão com a encarnação atual a nível pessoal, material e espiritual e consequentemente os programas a cumprir na presente existência com o objetivo de resgate ou de crescimento pessoal.  A casa doze influencia muito sobre a personalidade do ascendente escolhido para a existência tendo em vista de se referir á vários padrões semelhantes de persona por nós vividos em varias encarnações sendo que o ascendente é uma nova proposta de personalidade por nós escolhida que mais se enquadrará dentro dos objetivos de proposta encarnatória. Sendo o ascendente um desafio de mudança e transformação muitas vezes só a partir dos 30 anos muitos conseguem se enquadrarem na proposta da nova personalidade iniciando-se assim o caminho pré-estabelecido para o desenvolvimento da alma na encarnação.  A décima segunda casa também é chamada à casa do carma porque a presente encarnação tem por fim a transmutação de processos carmicos acumulados advindos de muitas vidas. Salvo muitas almas escolherem uma encarnação com o intuito de servir a humanidade o que mesmo assim não às coloca imunes aos processos carmicos relacionados ao compromisso carmico as demais estão em processo evolutivo de transmutação cármica. Por isso a casa doze é olhada como a casa dos inimigos ocultos e secretos que na sua grande maioria estão relacionados ás pessoas que aqui iremos reencontrar no caminho da vida seja na família ou na comunidade em geral e também no mundo espiritual. Também se refere às doenças advindas de padrões carmicos não resolvidos pelo fragmento de alma reencarnado e que podem se estender na presente encarnação se os objetivos de resgate e transmutação se mostrarem frustrados. Dependendo da casa 12 na carta astrológica podemos observar as provações e carmas escolhidos pelo fragmento de alma a resgatar na presente existência e das ferramentas que ela poderá se socorrer para que siga o trajeto escolhido antes de reencarnar. A casa doze é a capacidade de iluminação. Nela existe a possibilidade de imortalidade no sentido de que imortalidade é transmutar o passado kármico para poder incluir o futuro e para isso é necessário dissolver o ego e trabalhar, sobretudo o perdão por isso a sua conotação com o confinamento, as prisões, os hospitais, os asilos. Esta casa também se refere aos segredos, às coisas ocultas, a clandestinidade, o trabalho atrás das cenas, os defeitos de caráter, os vícios, os escapismos, os enganos, as traições que são os padrões carmicos que viemos trazendo das encarnações co-relacionadas para a atual existência e que podem ou não tornarem-se incidentes dependendo do livre arbítrio de cada um e de se reconhecer Deus dentro de cada um de nós. É também a casa da grande iniciação, a meditação, o misticismo, a intuição, o inconsciente, a mente cósmica, a evolução interior, a mediunidade tendo em vista ser a casa da ligação com o nosso projeto de vida amparados pelos nossos mentores e amparadores espirituais. Por isso esta casa representa as nossas responsabilidades sociais e as contribuições que fazemos para melhorar a vida dos outros. Ou para abençoá-los.  São os débitos espirituais que continuamos trazendo o que incomoda-nos quando vemos injustiças praticadas com os outros ou o sentimento de pena para com as pessoas desamparadas, oprimidas, naufragadas, feridas.


Maiana Lena - Astróloga Kármica


Mantra IRDIN Jerarquía MISHUK

quarta-feira, 6 de abril de 2011

A ASTROLOGIA KÁRMICA E A SEGUNDA CASA ASTROLÓGICA NA RODA DE SANSARA

Pela astrologia cármica a segunda casa astrológica no mapa astral carmico indica a casa dos nossos valores, daquilo que possuiremos no decorrer da nossa vida, da capacidade de acumular qualquer coisa e dos meios que poderemos dispor para ganhar dinheiro. Como se usa aquilo que se possui. Possuir é uma ação genética, do nosso passado ancestral. Aquilo que possuímos é o resultado do que fizemos em outras existências. Esta casa representa o "quantum" de poder se trouxe para que a lei cósmica seja cumprida. Riqueza e poder são apenas terminologias perante o cosmo. Ninguém é rico nem pobre, pois ninguém traz nada e ninguém leva nada. Em termos de aquisição a segunda casa na astrologia cármica indica  o darma e o carma financeiro somatizado em outras vidas. Assim a segunda casa é a nova proposta reencarnatória em nivel material que a alma escolheu realizar na atual existência. Indica o caminho escolhido para a obtenção dos recursos como conseqüência das encarnações co-relacionadas a atual encarnação. Alguém que tenha, por exemplo, Sagitário na cúspide da segunda casa com certeza escolherá o caminho do conhecimento para obter os recursos materiais no decorrer da sua vida. Buscará a fé para resolver seus problemas materiais. Vale dizer o mesmo com Júpiter na segunda casa. Júpiter indica sempre expansão e crescimento na casa onde se encontre na carta natal. Há de observar, todavia os aspectos envolvidos e os carmas que porventura a pessoa traga de outras encarnações para que esta condição seja de sorte e expansão. Alguém que traga informações carmicas de ter feito mau uso da energia do dinheiro em algumas encarnações com a influencia de Júpiter nesta casa precisará trabalhar o conhecimento na vida atual para que novos valores possam ser agregados a sua consciência onde sua nova motivação será partilhar seus recursos e conhecimentos com outros ou seguirá o caminho do desinteresse material em troca de assuntos mais filosóficos. Tudo o que tem a fazer é ensinar sua mente inferior a aceitar seu conhecimento. Esta casa também indica o tipo de poder que a pessoa considera que detém e o que tem valor para ela. Caso a pessoa tenha Peixes na cúspide da segunda casa ela pode considerar que detém o seu maior poder na sua fé e no nível de conhecimento que detém em nível espiritual. Consequentemente a segunda casa se refere tanto as finanças e as aquisições como as perdas e de que forma a pessoa acredita que detém o seu poder. Tudo o que se possui, com relação a essa área é vinda do esforço próprio da pessoa e do resultado de suas últimas encarnações . É o que ela ganha com o seu desempenho, o dinheiro ganho com sua atividade e não o que poderia ganhar de presente. É a atitude interior que se tem com as aquisições, as finanças, o dinheiro. O signo na cúspide da casa dois mostra como conseguimos os objetivos dessa área, ou seja, a proposta da alma na nova encarnação com relação aos valores e o mundo material e também as atitudes que temos com relação aos nossos valores, bem como o que valorizamos. Uma pessoa que possua, por exemplo, Touro na cúspide da segunda casa poderá  se mostrar bastante possessiva nesta encarnação de todos os sistemas de valores passados podendo se mostrar muito materialista, enquanto procurará restabelecer e fortalecer todos os sentimentos passados de autovalor. Terá uma forte tendência a repetir todas as coisas de que gostava,  podendo se tornar uma pessoa de muitos hábitos. Sua necessidade por segurança no plano da substância física e material será tão grande que lhe será difícil ser  generosa sem sentir que está perdendo alguma coisa no processo. Deve  aprender a generosidade (pois tem medo demais de empobrecer, dando), e abandonar suas tendências materialistas. Mercúrio, " o senhor da comunicação" exrece pouca e fraca influencia nesta casa, solicitando ao nativo que estabeleça seu antigo poder subordiando e com pouca atuação. Vênus, por sua força, porte e majestade, e em virtude da relação magnética com Touro, exerce influência poderosa para ganhos e poder, prometendo nunca faltar-lhe apoio material, sobretudo se a ligação psicofisica é dirigida para a arte. Marte exerce a mais pura proteção nesta casa, pois permite exercer a manutenção sem que nada falte. Na procura da evolução espiritual a segunda casa mostra que basicamente, a pessoa possui a si própria, e de repente, nem mesmo a si, pois faz parte do universo, devendo dedicar-se a evolução da humanidade livrando-se da necessidade de ser possessiva. Quando nada se tem pode-se integrar no ritmo cósmico, deixar-se carregar pelo universo e só assim, tendo um valor pessoal significativo: é possuído pelo universo.  

Estória Sufi

Uma vez perguntaram a um homem muito avarento:

- Como é que você conseguiu acumular tanta riqueza?

O avarento respondeu:

_ Tudo o que eu tinha para fazer amanhã eu fazia hoje e tudo que me podia ser agradável hoje, eu deixava para amanhã.

E assim fez sua fortuna. O avarento era um miserável. De um lado ele aumentava suas riquezas, de outro lado aumentava sua miséria.

O mestre diz: o homem perfeito é como um barco vazio.

Vazio de que? Do ego. O ego traz o desejo de possuir, de ser poderoso, de dominar mais que puder. Com as posses o ego vai ficando cada vez maior e o barco acaba ficando pequeno. O barco pesa com as posses e a cada instante  vem o medo de afundar. Quanto mais medo se tem de afundar, mais possessivo se fica, porque se pensa na segurança daquilo que se adquiriu. 

 

Maiana Lena

Os Poderes do Sal Grosso

O sal grosso é considerado um potente purificador de ambientes. Povos distintos usam o sal para combater o mau-olhado,e deixar a casa a salvo de energias nefastas.  O sal é um cristal e por isso emite ondas eletromagnéticas que podem ser medidas pelos radiestesistas. Ele tem o mesmo cumprimento de onda da cor violeta, capaz de neutralizar os campos eletromagnéticos negativos.Visto do microscópio o sal bruto revela que é um cristal, formado por pequenos quadrados ou cubos achatados.As energias densas costumam se concentrar nos cantos da casa. Por isso, colocar um copo de água com sal grosso ou sal de cozinha equilibra essas forças e deixa a casa mais leve. Para uma sala média onde não circula muita gente, um copo de água com sal em dois cantos é suficiente. Em dois ou três dias já se percebe a diferença. Quando formam-se bolhas é hora de renovar a salmoura. A solução de água e sal também é capaz de puxar os íons positivos,isto é, as partículas de energia elétrica da atmosfera, e reequilibrar a energia dos ambientes. Principalmente em locais fechados, escuros ou mesmo antes de uma tempestade, esses íons têm efeito intensificador e podem provocar tensão e irritação. A prática simples de purificação com água e sal deve ser feita à menor sensação de que o ambiente está carregado, depois de brigas ou à noite no quarto,para que o sono não seja perturbado. Banho de sal grosso e o antigo escalda-pés (mergulhar os pés em salmoura bem quente) têm o poder de neutralizar a eletricidade do corpo. Para quem mora longe da praia é um ótimo jeito de relaxar  e renovar as energias. Já foi considerado o ouro branco (salmoura para conservar alimentos).
Os povos foram desenvolvendo técnicas de usar o sal, como as abaixo descritas:
Uma pitada de sal sobre os ombros afasta a inveja.
Para espantar o mau-olhado ou evitar visitas indesejáveis,
caboclos e caipiras costumam colocar uma fileira de sal na soleira da porta
ou um copo de salmourado lado esquerdo da entrada .
A mistura de sal com água ou álcool absorve tudo de ruim que está no ar, ajuda a purificar e impede que a inveja, o mau-olhado e outros sentimentos inferiores entrem na casa.
Depois de uma festa, lavar todos os copos e pratos com sal grosso para neutralizar a energia dos convidados, purificando a louça para o uso diário.
Tomar banho de água salgada com bicarbonato de sódio descarrega as energias ruins e é relaxante. O único cuidado é não molhar a cabeça, pois é aí que mora o nosso espírito e ele não deve ser neutralizado. 
Na tradição africana, quando alguém se muda, as primeiras coisas a entrar na casa são: um copo de água e outro com sal. Usam sal marinho seco, num pires branco atrás da porta para puxar a energia negativa de quem entra. Também tomam banho com água salgada com ervas para renovar a energia interna e a vontade de viver.No Japão, o sal é considerado poderoso purificador. Os japoneses mais tradicionais jogam sal todos os dias na soleira das portas e sempre que uma visita mal vinda vai embora. Símbolo de lealdade na luta de sumô.
Os campeões jogam sal no ringue para que a luta transcorra com lealdade.
Use esse poderoso aliado!
É barato, fácil de encontrar, e pode lhe ajudar em momentos de dificuldade e de esgotamento energético!

Modo de tomar o banho de sal grosso
Após seu banho convencional, deixe um punhado de sal grosso escorrer do pescoço para baixo, embaixo da água da ducha. Uma opção que agrada muitas pessoas, é colocar um punhado de sal dentro de uma meia,e repousar esta na nuca (atrás do pescoço) debaixo da ducha. Não é aconselhável banhos freqüentes com o sal. De preferência para os banhos na fase da Lua Cheia, utilize velas no banheiro, e se quiser ativar sua intuição, apague as luzes do banheiro.

Benefícios de banhos e escalda pé com sal grosso
Benefícios Fisiológicos.
Ajuda a desintoxicar o corpo e afastar os vírus.
Estimula a circulação natural para a melhoria da saúde.
Ajuda a aliviar o pé do atleta, calos e calosidades.
Relaxa a tensão, dores musculares e nas articulações.
Ajuda a aliviar artrite e reumatismo.
Ajuda a aliviar a dor lombar crônica


Benefícios estéticos
Tira as impurezas da pele.
Alivia irritações da pele como psoríase / eczema.
Alivia comichão, ardor e picadas.
Suaviza e amacia a pele.
Incentiva a pele se renovar.
Ajuda a curar as cicatrizes.
Restaura o equilíbrio a umidade da pele.
Alivia o cansaço, os pés doloridos e os músculos da perna.
Alivia a tensão nas mãos e punhos.
Ajuda a aliviar lesões no desporto Psico-física.
Proporciona um relaxamento profundo.
Ajuda a aliviar o estresse e tensão.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

TÉCNICAS DE DEFESA PSÍQUICA

Este  texto contem algumas técnicas que podem ser utilizadas para o dia-a-dia. Estas técnicas em geral podem ser utilizadas sem nenhum temor a contra-indicações. Na verdade, só é necessário exercitar-se nas práticas e nada mais. 
Pratique diariamente os exercícios.


1º Exercício

Essa técnica serve para o dia-a-dia. Faça-a antes de ir trabalhar. Sente-se confortavelmente em sua cama ou no sofá. Concentre-se em seu coração, sinta-o palpitando por uns dois ou três minutos. Invoque ao teu Espírito Divino, que é seu Pai Interno ou, como queira, use o termo Mestre Interno. Peça-lhe que, dos Céus da Consciência Cósmica desça o Anjo da Guarda. Ele possui poderes mágicos e pode orientar você no dia-a-dia. Depois dessa súplica, vocalize o mantra AOM por 3 ou 7 vezes. E lembre-se do adágio árabe: “Confie em Deus e amarre seu camelo”.

2º Exercício

Este foi ensinado pelo mestre Gargha Kuichines, poderoso mestre dos mundos nirvânicos. Serve para nos proteger de ataques psíquicos noturnos. Sabe-se que no astral existem entidades que se encarregam de derrubar o estudante de esoterismo e fazê-lo voltar ao mundo profano, esquecendo-se de seu Deus Interior e do Caminho Iniciático. Deitado (ou deitada), você deve suplicar ajuda ao Pai Celestial. Peça-lhe para que envie seu Anjo Elemental, ou Intercessor Elemental. Em seguida, imagine um fio de luz verde saindo de seu umbigo. Visualize esse cordão verde rodear toda a sua cama, protegendo sua pessoa e, se desejar, seu cônjuge e também sua casa. Mentalize todo o ambiente de seu interesse sendo rodeado por esta proteção energética. Tenha certeza que seu intercessor fortalecerá essa envoltura com um poderoso fluido do mundo elemental.
Nós temos dois Anjos da Guarda. Um deles é justamente à parte de nosso Ser Interior especialista em dominar as forças elementais da natureza para nosso benefício espiritual. Nosso Intercessor Elemental nos ajudará nesta prática.

3º Exercício

Relaxe o corpo. Vocalize o mantra ARIO por pelo menos 7 vezes. Mentalize sua coluna vertebral como se fosse uma lâmpada fluorescente acesa, cheia de luz e força. Mentalize que essa luz se expande e sai de seu corpo, iluminando uma área não inferior a 5 metros de diâmetro. Invoque sua Divina Mãe Espiritual, aquele que criou seu espírito e sua alma. Ela é Deus, porém polarizado com a energia cósmica materna, feminina. Deus é Pai e Mãe ao mesmo tempo. Dentro de você, Ela reside em seu coração e manifesta seu Poder na coluna vertebral. Peça-lhe para que essa luz branca, alva, traga para você Força, Proteção, Iluminação e Prosperidade.
O mantra ARIO deve ser vocalizado numa única respiração profunda. Assim: AAAARRRIIIIOOOOO...
Vocalize com força e concentração

4º Exercício

Se você gosta de trabalhar com a Magia das Flores, este é especial. Apesar de simples, é superefetivo. Vocalize um mantra de sua preferência, por exemplo o AOM, por algumas vezes... Invoque mentalmente o Anjo do Amor, cujo nome é Anael. Este anjo-menino é o "embaixador" das forças divinas que vêm de Vênus até nosso planeta. Ele canaliza a Força Maravilhosa do Amor. Invoque-o muitas vezes, com todo o coração, e peça-lhe, em nome do Cristo (sempre) que Ele crie uma proteção energética ao seu redor, para que você sempre atraia as energias amorosas das pessoas. Paralelamente a isso tudo, visualize-se rodeado (ou rodeada) com uma formosa guirlanda de rosas vermelhas, ao seu redor, na altura do umbigo.

5º Exercício

Tome um banho de folhas de arruda. Faça um litro de chá de arruda e logo depois do banho comum, jogue esse chá em seu corpo, da cabeça aos pés, e mentalmente ordene ao elemental da arruda para que livre seu corpo e sua alma de toda influência negativa vinda de qualquer lugar. Esse formoso elemental possui uma maravilhosa aura de cor amarela e pertence ao Raio do Fogo. Ele é cheio de poder para proteção psíquica, minimizar dores e mal-estares diversos. Ele tem o poder de penetrar em nossa Envoltura Áurica e queimar toda energia deletéria causada por enfermidades, fixações mentais e emoções negativas. Ele causa um grande alívio para quem sente dores gerais no corpo e na alma.

6º Exercício

Para finalizar, sugerimos o poderoso exercício da Carta Astral. Para isso necessita-se de papel, caneta e uma vareta acesa de incenso. Escreva uma carta a algum mestre de sua preferência. Sugerimos que de acordo com a necessidade, trabalhe com um mestre especialista, por exemplo Saint Germain diga nesta carta o que você mais deseja. De forma simples, sucinta e objetiva, sem enrolações nem subjetivismos. Finalmente, escreva seus agradecimentos sinceros por toda ajuda que puder receber e assine seu nome. Em seguida, incense a carta, passe a fumaça do incenso por toda a carta, em todos os lados. Dobre bem a carta e coloque-a com a mão direita em seu coração. Peça a que seu Pai Interno leva esta carta ao mestre de nossa maior devoção. Em seguida, queime a carta. Isso mesmo, queime a carta, já que é a parte astral da mesma que será enviada e lida pelo mestre. Tenha certeza absoluta que o mestre em questão lerá a carta e, se for de acordo com a Lei divina, seu pedido será atendido. Você pode suplicar proteção, cura, harmonia, prosperidade e Paz de Consciência ou aquilo que você mais necessitar. Lembre-se que não é delito algum pedir. Tenha cuidado para pedir aquilo que seu coração e sua consciência acharem justo e perfeito.